A cultura negra está na base da cultura brasileira. Muitas vezes, no entanto, ao longo de nossa história, nomes fundamentais de origem afrodescendente tiveram suas imensas contribuições relegadas ao segundo plano nos registros oficiais. Com o objetivo de dar visibilidade às vidas e às obras de figuras fundamentais da cultura, da política e da militância negra no Brasil, a editora Selo Negro lançou a Coleção Retratos do Brasil Negro, coordenada por Vera Lúcia Benedito, mestre e doutora em Sociologia/Estudos Urbanos pela Michigan State University (EUA). Cinco dos livros já estão disponíveis para mais de 100 países pela Buobooks – e, neste Mês da Consciência Negra, listamos aqui grandes personalidades neles abordadas.

1. Abdias Nascimento

Ator, poeta, escritor, dramaturgo, artista plástico, professor universitário, político e ativista dos direitos civis e humanos das populações negras brasileiro, Abdias Nascimento (1914-2011) foi um dos grandes nomes do movimento negro do século XX – ao lado de lideranças internacionais como Martin Luther King, Angela Davis e Aimé Césaire. O livro da jornalista, pesquisadora e professora universitária Sandra Almeida celebra e lança luz sobre sua trajetória fundamental e inspiradora.

2. Cruz e Sousa

João da Cruz e Sousa (1861-1898) foi um dos maiores poetas brasileiros de todos os tempos, precursor do movimento simbolista no Brasil. O livro lança luz sobre a vida e a obra do escritor negro nascido em Florianópolis que passou a vida dedicado à literatura e, filho de escravos alforriados, à abolição da escravidão. “O que é ser visto como um homem livre de cor num brasil do século XIX? Eis que me rompe a primeira resposta: dolorido”, escreve a jornalista Paola Prandini na apresentação de seu livro sobre o autor.

3. João Cândido

Símbolo da luta contra a opressão no Brasil, João Cândido Felisberto (1880-1969), também conhecido como “Almirante Negro”, foi líder da Revolta da Chibata, que, em 1910, no Rio de Janeiro, exigia melhores condições na Marinha, onde servidores negros e mulatos eram punidos por oficiais brancos com chibatadas. Fruto de ampla pesquisa, o livro de Renato Granato busca explicar os fatos que levaram à eclosão do conflito e revelar quem foi esse verdadeiro herói brasileiro.

4. Lélia Gonzalez

Nascida em Belo Horizonte, Lélia de Almeida Gonzalez (1935-1994), intelectual, política, professora e antropóloga, foi fundamental para o debate sobre raça, gênero e classe no Brasil. No livro, Alex Ratts e Flavia Rios versam sobre sua trajetória, produção e legado, cientes que, como escrevem na apresentação, “contar a história de uma pessoa negra, especificamente de uma mulher, nos coloca na delicada posição de, tomando emprestadas as palavras de Jorge Luis Borges, ‘avaliar o perímetro dos vazios e das lacunas’”.

5. Nei Lopes

Artista celebrado em diversas áreas de cultura – poesia, música, literatura, pesquisa –, Nei Lopes, nascido em 1942 no bairro de Irajá, no Rio de Janeiro, é um verdadeiro patrimônio nacional. No livro, que contou com a contribuição do próprio Nei, além de parentes e amigos próximos, o jornalista Oswaldo Faustino repassa e detalha sua vida e vasta obra (que conta hoje com mais de 25 livros publicados e mais de 300 canções compostas), trazendo novas descobertas.